Contos de Terror!53.620

Contos de Terror!

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Contos de Terror!

Mensagem por Ftcv em Ter Set 21, 2010 11:01 pm

Leiam, Escrevam e Postem pequenos contos de terror neste tópico!
Vou começar com um conto que eu fiz no msn para contar a Lorranny, fiquem a vontade para comentar o conto e postarem os seus próprios contos!

Coração vermelho


"Uma menina estava sozinha em casa a noite, seus pais tinham viajado e chegariam cedo no dia seguinte, ela estava amedrontada, não gostava de estar sozinha em uma casa tão grande e escura, então resolveu ligar a TV, era o noticiário, para piorar sua situação a noticia era de um procurado da policia, havia fugido da cadeia no bairro vizinho ao que ela morava, e antes de sair o fugitivo alto, barbado e com a tatuagem de um coração vermelho em seu pé, havia escrito palavras de terror na parede da cela, avisando q mataria mais pessoas pelo que ele passou na cadeia, para mostrar que toda aquela pressão na qual ele foi submetido na cadeia, não mudava nada. Desesperada a menina desligou a TV e afundou na escuridão de seu quarto, tentou relaxar, fazia de tudo para tirar aquele pensamento de que o assassino poderia esta em sua rua no momento e então, colocou o travesseiro entre as pernas como de costume, e cobriu todo o seu corpo, fechou os olhos e tentou dormir, foi quando ela ouviu um barulho da sala antes de seu quarto, entrou em pânico, e ligou a TV novamente, e após ligar, um barulho de algo caindo na sala, como se alguém tivesse se assustado. Mas como? Ela estava sozinha! Quem estava lá? O que? Eram 3 da madrugada, seus pais não iriam ter chegado, ela começou a gelar, não sabia o que fazer, ouviu passos se aproximando, seu coração estava acelerado, ela começou a tremer, vontade de chorar, tinha que ser coisa da cabeça dela, mas então os passos aumentaram, e foram chegando mais perto, ela ficou em choque, e correu para debaixo da cama, e ficou lá prendendo o choro de pânico, sua veia pulsante de medo, uma pessoa entrou no quarto dela, e foi se aproximando, ela olhou por debaixo da cama, e só conseguia ver uma mancha vermelha, em um pé.... ERA UMA TATUAGEM DE CORAÇÃO EM UM PÉ MASCULINO
ELA PRENDEU A RESPIRAÇÃO, NÃO SABIA OQ FAZER!!!!!!!
E ENTÃO O SILÊNCIO.
O HOMEM PAROU COM OS PÉS BEM PERTO DELA, AO LADO DA CAMA E FOI BAIXANDO, ATÉ QUE ELE SE AGACHANDO PARA OLHAR EM BAIXO DA CAMA, ESTAVA COM SEU ROSTO E SEUS OLHOS BEM ABERTOS ENCARANDO A MENINA QUE EM PANICO GRITOU
O grito foi ficando estranho, ficando mais perto... E ela abriu os olhos, assustada com o próprio grito, e com o travesseiro entre as pernas, coberta até a cabeça..."


_________________
Quem quer ser uma pia?

Ftcv
Nivel 26

Mensagens: 2052
Pontos de reputação: 55
Data de inscrição: 17/05/2010
Idade: 23
Localização: Salvador Bahia

Ver perfil do usuário http://forumilha.forumj.biz

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por lorranny em Ter Set 21, 2010 11:35 pm

sou sua fã DHASIUDHSA

lorranny
Nivel 25

Mensagens: 1121
Pontos de reputação: 45
Data de inscrição: 19/09/2010
Idade: 18
Localização: Rio de Janeiro 8D

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por tuts em Qui Out 07, 2010 8:02 pm

Ela caminhava pela calçada alegremente, estava voltando da escola, o dia estava bonito, os pássaros cantavam, o vento soprava. Ela via os meninos jogando uma pelada no meio da rua, tudo como de costume. De repente, a bola caiu numa casa ao lado, parecia abandonada. Ela observava enquanto um dos meninos ia buscar a bola, ele saíra correndo, fora expulsado por uma velha ranzinza, todos correram, ela amedrontara à todos com seus cabelos brancos/grisalhos descuidados, ruins, destruídos, suas roupas não eram diferentes, dava pra ver do outro lado da rua, uma saia grande e rasgada nas pontas, uma blusa encardida e um charpe que cobria seus ombros. Segurando um pedaço de madeira, ela gritava e resmungava alguns dizeres, indizíveis. Olhava agora para a menina, o seu olhar lhe arrepiou, instintivamente ela correu com medo. A tarde passou e já em casa, a menina já se tranquilizara. O relógio batia 5 horas quando a campanhia tocou, ela correra pra atender, mas ao abrir a porta só o que viu foi o ranger de uma porta velha se fechando do outro lado da rua. Olhou para baixo e viu uma caixa com um cartão e um bonito laço, era um pedido de desculpas da humilde senhora do outro lado da rua, na caixa havia um bichinho de pelúcia, um lindo macaco peludo, com um leve sorriso, a menina agradecera em voz baixa àquela estranha mulher. Chegara a hora de dormir e a menina pusera o macaco na sua estante, servia de ótimo enfeite, junto com seus outro bixinhos. A luz se apagou, as horas se passaram, até que... a menina ouviu um leve sussurro, acordou desorientada, ligou a luz, não deu importância, não havia de ser nada. Tornou a desligar a luz e tentou dormir, quando ela ouviu de novo o sussurro e depois um grito, dessa vez mais alto, ligou a luz novamente - assustada - e viu que o macaco estava no chão, caído com uma faca do lado, ELA SE APAVOROU, SENTARA NA CAMA, TENTOU GRITAR, MAS AS PALAVRAS SUMIRAM DE SUA BOCA, NO SUSTO, ELA SE BATEU NO INTERRUPTOR QUE FICAVA AO LADO DA SUA CAMA, SEM LUZ, ELA SENTIU UMA DOR TERRÍVEL, O QUE A FEZ TOCAR NOVAMENTE NO INTERRUPTOR. GRITARA, GRITARA E MUITO. SUSTO, SANGUE E DOR. ELA OLHOU PARA O PRÓPRIO PÉ E VIU QUE SEU DEDÃO HAVIA SIDO DECEPADO, SEGUROU O PÉ COM AS DUAS MÃOS, CAIU NO CHÃO GRITANDO DE DOR, OLHOU AO REDOR, NÃO HAVIA MACACO ALGUM, apenas uma faca, sangue e um pedaço de dedo...

tuts
Nivel 22

Mensagens: 586
Pontos de reputação: 27
Data de inscrição: 19/05/2010
Localização: 7 mares

Ver perfil do usuário http://www.pensemuderevolucione.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por Nanda84 em Sex Jan 14, 2011 12:51 pm

Gostei dessa!!! hauhau Eu nao tenho nenhum talento pra escrever contos de terror Sad
Visitem www.amorsolteiro.com.br e www.flirtfair.com.br


Última edição por Nanda84 em Ter Jan 18, 2011 6:17 am, editado 1 vez(es)

Nanda84
Nivel 1

Mensagens: 14
Pontos de reputação: 1
Data de inscrição: 04/01/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por tuts em Sex Jan 14, 2011 9:37 pm

hohoho, muito obrigado Very Happy
há tempos que ninguem comenta sobre o que eu escrevo

tuts
Nivel 22

Mensagens: 586
Pontos de reputação: 27
Data de inscrição: 19/05/2010
Localização: 7 mares

Ver perfil do usuário http://www.pensemuderevolucione.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por Ftcv em Qua Jan 19, 2011 8:18 pm

Escrevi um conto, descontraido, não foi muito bem trabalhado, foi feito rapidamente sem muito planejamento e usando um estilo informal sem muito compromisso, o conto também é mais de suspense do que terror, mas decidi postar aqui pra vcs:



Isabela acordou no meio da noite, suada a casa silenciosa, ela morava com sua irmã menor de apenas 7 anos e sua mãe, ambas estavam dormindo, ela estava com frio, mas suava sem parar e decidiu ir para cozinha beber água para se hidratar, levantou da cama e se dirigiu a porta do quarto, mas o seu celular começou a tocar... Aquele horário da madrugada? Quem seria?
Ela pegou o celular, de um modelo já ultrapassado do chão, ao lado de sua cama, e olhou o número, não conhecia... recusou a chamada e aproveitou pra usar o celular para iluminar o caminho, mas novamente antes de chegar na porta, o celular vibrou, ela se assustou, e viu que havia recebido uma sms: "Eu não sairia do quarto se fosse vc, e não ignore minha ligação" E o celular voltou a tocar...
"COMO ASSIM? EU NÃO SAIRIA DO QUARTO? COMO... " Ela correu pra fechar a cortina da janela. "IDIOTA!" e deixou o celular tocando até q parou e apareceu outra mensagem...
"Eu não estou te vendo pela janela" . Ela começou a ficar assustada, mas sabia q não tinha como ninguém entrar em sua casa, ela morava no 9º andar e a sua mãe sempre verificava a porta antes de dormir, trancando e passando a corrente de proteção, devia ser uma brincadeira, ou coincidência então decidiu ignorar, e continuou andando, com o celular na mão, ABRIU A PORTA DO QUARTO...

Nada acontecera, ela olhou pra trás no corredor e não tinha nada, o celular voltou a tocar, ela pensou em atender mais desistiu, mais uma sms: "Neste caso... Eu não voltaria pro quarto..."
Ela olhou pra janela da sala, e viu q a cortina estava aberta, a pessoa provavelmente viu que ela tinha ido para a sala, mas quem seria o idiota? E como conseguiu seu cel? Será q alguma amiga do colégio que descobriu q ela era sua vizinha e resolver fazer uma brincadeira? Mas aquele número... Enfim, ela continuou ignorando, bebeu água, voltando deu dedo pra janela
E quando se dirigiu pra o corredor uma imagem a assustou, ela viu um vulto entrando no seu quarto rapidamente... ela não tinha animais de estimação... começou a ficar assustada, será q foi só impressão?
O telefone voltou a tocar, ela voltou pra sala e resolveu atender desta vez: "CUIDADO!" foi a unica coisa que a voz disse e logo dps desligou... Ela gelou, pq não foi qualquer voz... foi a voz da mãe dela! MAS OQ?? MINHA MÃE? ELE PEGOU MINHA MÃE?
Ela foi até a cozinha correndo e pegou uma faca, e foi andando até o quarto, a mãe tentou alertá-la mas ela não iria deixar nada acontecer a sua mãe, e então ENTROU NO QUARTO!
A FACA EM PUNHO, OLHOU PARA CAMA E VIU UM VOLUME, A PESSOA ESTAVA TOTALMENTE COBERTA, ELA NÃO PENSOU DUAS VEZES, DESCEU A FACA NA PESSOA, Q SOLTOU UM GRITO... UMA VOZ Q ELA CONHECIA
NÃÃÃÃOOOOOOOOOOOOO MÃE!!!!
A coberta foi puxada a mãe dela estava gritando, com um celular na mão
"AAAAAAI MINHA PERNA"
SANGUE ESCORRENDO...
- MÃE DESCULPA! CADÊ ELE?
- ELE QUEM? AAAAAI SUA IDIOTA! ERA SÓ EU BRINCANDO COM VC! AAAAI TA SANGRANDO, VC PODIA TER ME MATADO
- MAS FOI SEM QUERER MÃE! VOCÊ ME ASSUSTOU! AH MEU DEUS DESCULPA, EU VOU PEGAR UM PANO PRA COLOCAR AE, O CORTE TA MTO FUNDO? AH MEU DEUS! DESCULPA
- CORRE QUE TA SANGRANDO, CARAMBA ISABELA, SÓ QUERIA TE DAR ESSE PRESENTE, UM CELULAR NOVO, O SEU TAVA UMA PORCARIA!
- COMO EU IA ADIVINHA MINHA MÃE? EU ACHEI Q ERA ALGUM BANDIDO SEI LÁ! DESCULPA, AQUI O PANO

-----


Ftcv
Nivel 26

Mensagens: 2052
Pontos de reputação: 55
Data de inscrição: 17/05/2010
Idade: 23
Localização: Salvador Bahia

Ver perfil do usuário http://forumilha.forumj.biz

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por tuts em Ter Jan 25, 2011 2:29 am

¬¬

tuts
Nivel 22

Mensagens: 586
Pontos de reputação: 27
Data de inscrição: 19/05/2010
Localização: 7 mares

Ver perfil do usuário http://www.pensemuderevolucione.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por Ftcv em Ter Jan 25, 2011 6:45 pm

AHSUASHASUHASUHSAUHASUASHUSH
Eu ri relendo meu ultimo conto, e o de tuts tb é comico, um macaco vei
ASHASAHUASH
Vc tem algo com macacos!

_________________
Quem quer ser uma pia?

Ftcv
Nivel 26

Mensagens: 2052
Pontos de reputação: 55
Data de inscrição: 17/05/2010
Idade: 23
Localização: Salvador Bahia

Ver perfil do usuário http://forumilha.forumj.biz

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por lorranny em Sex Jan 28, 2011 3:28 am

ah, o conto do celular! DHSAUDHASUDISAH wins

lorranny
Nivel 25

Mensagens: 1121
Pontos de reputação: 45
Data de inscrição: 19/09/2010
Idade: 18
Localização: Rio de Janeiro 8D

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por tuts em Sab Jan 29, 2011 3:42 am

veeeeeeeeeeeeei, pq será?

tuts
Nivel 22

Mensagens: 586
Pontos de reputação: 27
Data de inscrição: 19/05/2010
Localização: 7 mares

Ver perfil do usuário http://www.pensemuderevolucione.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por Ftcv em Sab Jan 29, 2011 5:32 pm

lorranny escreveu:ah, o conto do celular! DHSAUDHASUDISAH wins
É! ashuashasuhasuahs

tuts escreveu:veeeeeeeeeeeeei, pq será?
Não sei vei! Vc deve ter uma memoria reprimida, de algum abuso sexual q vc sofreu na infância em um zoológico!

_________________
Quem quer ser uma pia?

Ftcv
Nivel 26

Mensagens: 2052
Pontos de reputação: 55
Data de inscrição: 17/05/2010
Idade: 23
Localização: Salvador Bahia

Ver perfil do usuário http://forumilha.forumj.biz

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por tuts em Sex Fev 11, 2011 12:50 am

PORRA
MINHA MAE CONTA DIRETO HISTÓRIAS DE ZOOLÓGICO E EU NÃO LEMBRO NENHUMA

AGORA EU TO PREOCUPADO

VEJA ISSO TAMBEM: NO HORÓSCO CHINÊS EU SOU MACACO!

tuts
Nivel 22

Mensagens: 586
Pontos de reputação: 27
Data de inscrição: 19/05/2010
Localização: 7 mares

Ver perfil do usuário http://www.pensemuderevolucione.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

lol

Mensagem por meyy em Seg Mar 21, 2011 10:26 pm

parece mais humoristico q terror!! todas tem um final engraçado apesar de dar muito suspense no inicio lol Laughing Very Happy

meyy
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

EXORCISMO DO SÚCUBUS

Mensagem por meyy em Seg Mar 21, 2011 10:46 pm

Com certeza já ouviram contar histórias estranhas sobre casos de pessoas possuídas pelo demónio. Sleep


As mais vulgares, que até serviram de inspiração a escritores e realizadores de cinema, tinham sempre algo em comum: A vítima era uma pobre rapariga e o demónio, na sua versão masculina possuía o seu corpo.

O episódio que vos vou aqui narrar nada tem a ver com ficção literária, nem sequer tem a ver com influência cinematográfica. O que aconteceu foi real, ninguém me contou, fui eu que vi e vivi.

O ocorrido remonta aos anos oitenta, em que eu era ainda um jovem seminarista em Coimbra. Num fim-de-semana ausentei-me das instalações do seminário, apanhei o comboio e fui até Lisboa, pois a minha ideia era visitar o Cristo-Rei em Almada. E foi exactamente neste Santuário que tudo começou.

Detinha-me a rezar, quando repentinamente as minhas preces foram interrompidas por um soluçar forte vindo lá da frente onde se conservava o altar. Apercebi-me de uma figura de uma senhora já de meia-idade, toda trajada de negro que se debruçava sobre o altar numa reza estranha, mas convicta. À sua frente, várias velas queimavam incessantemente,cuja chama era ameaçada pelo seu choro incessante e desesperado.

Confesso que aquela situação me desconcertou e fez – me interromper as minhas preces. Contemplei a pobre mulher durante mais uns minutos, e não hesitei em ir me dirigir até ela.

- Minha senhora – sussurrei eu – A senhora está bem?

- Silêncio – asseverou ela sem mostrar o seu rosto.

-Apenas quero ajudar. A senhora está a sentir-se bem? - Inquiri persistente.

Foi neste momento que ela se virou e me deixou ver o seu rosto enrugado e os seus olhos vazios e cegos.

Confesso que hesitei entre ir-me embora e ajoelhar-me ao lado dela a rezar.

- Que queres de mim? Não percebes que não me podes ajudar? Nem a mim nem a ele?...

- Ele? Ele, quem? – Insisti

- Ele! – Afirmou, mostrando uma fotografia com a face de um jovem, supostamente seu filho. – Ele vai morrer. Nada, nem ninguém o poderá salvar. Meu lindo Duarte. - Suspirou a idosa, levando a mão ao meu peito.

- O que tem o Duarte? – Perscrutei eu segurando-lhe na mão

- Tu és um padre? – Questionou ela após verificar o meu traje.

- Sim, sou padre. – Menti, pois ainda não tinha terminado os estudos. – Gostava de poder ajudar o Duarte, minha senhora.

- És jovem como ele. – Asseverou, colocando as suas mãos enrugadas, mas quentes e meigas sobre o meu rosto.

- Então, diga-me o que se passa com o Duarte? Não há nada que a fé e, Jesus Cristo não salve...

Neste momento vi a idosa retirar um pequeno papel dobrado do seu alforge e, agarrando-me nos pulsos, depositou o papel na palma da minha mão.

-Aparece nesta morada amanhã cedo. Acredito na tua fé, jovem. Terás a tua prova de fé, amanhã quando os conheceres!

-Quando os conhecer, a quem? – Indaguei. - Amanhã verás! Espero que o consigas ajudar, pois até agora ninguém conseguiu, e já lhe resta pouco tempo. – Assegurou a idosa, voltando-se para o altar. De seguida benzeu-se, agarrou na sua bengala, e seguiu em direcção à saída.

Confesso que me senti nervoso quando a vi sair. Não foi pena nem compaixão, mas sim...admiração. Admiração por uma figura, aparentemente tão frágil, mas com um carácter tão forte e determinado.

Desembrulhei o pedaço de papel e verifiquei que se tratava de uma morada:

“Rua dos pescadores, lote 1 – 1ºandar – Seixal”

A paragem da camioneta onde o motorista me disse para eu sair, distava apenas alguns metros da morada que eu tinha.

Não demorei a encontrar a casa. Esta situava -se no âmago de uma rua estreita e revestida de calçada. Apercebi – me de que a minha presença chamara a atenção da vizinhança, que apareceram nas janelas, benzendo-se como se tivesse chegado um...”salvador”. Deduzi que toda a gente tinha conhecimento do que se passava com o Duarte. A minha ansiedade aumentava à medida que me aproximava da porta do lote 1.

A porta foi-me aberta mesmo antes de eu bater. Do interior da casa apareceu à porta uma jovem de cabelos castanhos, aparentando não ter mais de doze anos.

- Entre, senhor padre – Sussurrou ela com um tom muito envergonhado e olhar acanhado.

Entrei e aguardei que ela me guiasse até ao quarto onde estava o Duarte.

Subi umas escadas que finalizaram em frente de uma porta, que estranhamente estava toda trancada com vários cadeados e correntes À volta da porta, também havia estacas pregadas, e a parte superior estava rachada.

Subitamente dei pela presença da mãe de Duarte mesmo atrás de mim.

- O Duarte está a dormir, senhor padre. Está muito cansado, passou a noite toda acordado. Sabe, “ela” não o deixa descansar – Afirmou com um ar medonho e de mistério.

- O que se passa aqui nesta casa? – Interroguei com firmeza.

- Espero que esteja preparado para o que vai ver, senhor padre – Avisou a idosa, começando a destrancar a porta. Apercebi-me que a garota ficara escoltada com a porta da cozinha quando ouviu o destrancar dos cadeados.

Do interior do quarto veio o horror pavoroso de algo que nunca imaginei ver em toda a minha vida.

Duarte estava amarrado à cama. O seu rosto, outrora belo, estava completamente desfigurado, tinha os olhos vermelhos e sem vida. A boca estava torta e ensanguentada, e as veias inchadas erguiam-se dos braços e do pescoço como se estivessem prestes a explodir.

Duarte estava possuído!

O seu sono, aparentemente profundo fora quebrado pela minha presença.

Fui devorado pelo olhar temível que ele me lançou. Não o Duarte, mas o que estava dentro dele. Eu não estava preparado para aquilo, mas comigo trazia sempre um pouco de água benta, e foi o que eu lhe lancei para cima, proferindo frases em hebraico e latim, mas nada se alterou. Ele apenas sorriu e de seguida cuspiu-me para cima.

Abandonei o quarto e prometi regressar no dia seguinte, logo pela madrugada.

Algumas horas antes da aurora surgir já eu estava frente a frente com aquilo.

Tinha passado a noite toda a ler e a pesquisar sobre exorcismo e pessoas possuídas, e suspeitava de que Duarte estava possuído por Súcubo, o demónio o demónio violador, cuja lenda adopta o sexo masculino, tornando-se no demónio Incubus, e que se apodera do corpo de mulheres, possuindo-as.

Com o crucifixo na minha mão direita, clamei pelo seu nome:

- Súcubus!

Os seus olhos acenderam-se na escuridão do quarto e nem sequer me procuraram. Fixaram algo que eu não conseguia ver o que era. Seguidamente o corpo de Duarte deu o solavanco e vomitou na minha direcção

- Quero que abandones esse corpo e regresses para as trevas imediatamente, maldito – gritei.

Súcubus ergueu-se levando o frágil corpo de Duarte com ele, ficando cara-a-cara comigo. Senti o odor da sua boca fedorenta levitar até às minhas narinas.

- ABANDONA ESSE CORPO IMEDIATAMENTE! – Insisti.

A criatura iniciou uma sequência de convulsões violentas sem parar, levando de rojo o corpo de Duarte, que já devia estar prestes a sucumbir a tanta violência

Eu, incansavelmente, continuei a dar-lhe ordens de expulsão do corpo daquele jovem inocente.

Foram várias as horas que se assaram naquele tormento infernal, até que caí de cansaço no chão. Eu estava derrotado. Mas quando eu comecei a acreditar que Súcubus iria permanecer no corpo de Duarte, percebi que estava enganado demónio já não habitava lá. Os olhos tristes e cansados de Duarte olhavam-me sem expressão, e com um misto de curiosidade e pena.

Confesso que a forma como me contemplava me incomodou bastante, pois a sua expressão adoptava contornos cada vez mais estranhos e misteriosos.
'study
Por fim percebi a razão pela qual Duarte me olhava assim: O demónio estava em mim. Sucubus tinha abandonado o corpo do Jovem e apoderara-se do meu. Quando percebi que Súcubus se tinha apoderado de mim, Gritei o seu nome: -Súcubus! Meu grande e eterno amor. Finalmente me tens! Finalmente tens o meu corpo só para ti. Sou a tua dádiva. Possui-me para sempre, porque sempre te procurei, meu amor!

meyy
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por tuts em Qua Mar 30, 2011 2:09 am

vei, vc surgiu de onde?

tuts
Nivel 22

Mensagens: 586
Pontos de reputação: 27
Data de inscrição: 19/05/2010
Localização: 7 mares

Ver perfil do usuário http://www.pensemuderevolucione.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por Thamires em Qua Jun 08, 2011 9:24 pm

Numa noite Alice ficou sozinha em casa os pais tinha saído e eles só voltariam ao amanhecer. Ela já havia ficado algumas vezes sozinha em casa , e fizera tudo como sempre fechou todas as portas e todas as janelas mais quando foi fechar uma ela se recusou a fechar , mais não achou problema por que seu cachorro esta ali para proteger ela e a casa . O cachorro sempre ia dormir embaixo da cama. No meio da noite Alice acorda com um barulho vindo do banheiro ela subestima que são pingos vindo do chuveiro.Alice acorda de novo com o barulho dos pingos ja assustada e com medo de ir ver o que era ela poe a mão embaixo da cama e verifica se o seu cachorro esta ali, ela sente sua lambida e volta a dormir.Alice acorda denovo, mais com medo de ir no banheiro poe a mãe embaixo da cama e sente a lambida novamente.Mais na quarta vez Alice fica curiosa e vai ao banheiro ver o que era , quando chega la ve seu cachorro pendurado em um ferro do banheiro com a garganta cortada, e no espelho estava escrito com o sangue do seu cachorro :FANTASMAS TAMBÉM PODEM LAMBER .

Thamires
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por tuts em Qui Jun 09, 2011 1:36 am

porra vei, pq com cachorro? Sad

''/

pq as pessoas fazem maldade com cachorros? ;/

tuts
Nivel 22

Mensagens: 586
Pontos de reputação: 27
Data de inscrição: 19/05/2010
Localização: 7 mares

Ver perfil do usuário http://www.pensemuderevolucione.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

thamires

Mensagem por naa em Seg Jul 11, 2011 4:04 pm

é HUMANOS também sabem lamber (:

naa
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

O culto

Mensagem por Jaxego em Sex Jul 22, 2011 4:43 am


Jaxego
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

VELHO DA MADRUGADA

Mensagem por Gabriel de Alcântara em Qua Ago 24, 2011 9:01 pm

FIM DE TARDE. ALÉM DAS RUAS SEMI ESCURAS E DO SILÊNCIO QUE ALI PREDOMINAVA, DUAS GAROTAS CONVERSAM AO TELEFONE:
- LIS, QUAL É A BOA?
- NÃO TENHO NENHUMA NOVIDADE, ROSE. MAS, ESTOU PLANEJANDO UMA FESTA DE PIJAMAS COM ALGUMAS GAROTAS DAQUI DA RUA, SE QUISER VIR... O CONVITE ESTÁ FEITO.
- FESTA DE PIJAMAS? E OS SEUS PAIS?
- MAMÃE FOI VISITAR A VOVÓ E SÓ VOLTA NO FIM DE SEMANA. E O PAPAI PEGOU HORA EXTRA NO TRABALHO E SÓ VOLTA AMANHÃ ÁS SEIS... E ENTÃO? VAI VIR?
- AI AMIGA! EU NÃO SEI O QUE FAÇO PARA SAIR SEM QUE MEUS PAIS VEJAM, ALÉM DO MAIS, ELES NUNCA DEIXARIAM QUE EU SAÍSSE À NOITE, AINDA MAIS SE FOR PARA UMA FESTA DE PIJAMAS.
- ISSO NÃO É PROBLEMA! DIZ QUE VEM AQUI EM CASA TERMINAR UM TRABALHO, AQUELE DE FÍSICA QUE COMBINAMOS TERMINAR DEPOIS... APROVEITA E USA ELE COMO DESCULPA PARA VIR À FESTA. A VELHA NÃO VAI NEM SACAR QUAL É A SUA.
- PODE DEIXAR! EU ESTAREI AÍ, ÁS OITO?
- OITO NÃO BOBINHA! OITO É MUITO CEDO... VENHA ÁS DOZE.
- DOZE? VOCÊ ESTÁ MALUCA?
- ESSE É O HORÁRIO, NINGUÉM RECLAMOU! SÓ VOCÊ QUE FICA AÍ ENROLANDO! SE QUISER VEM, SE NÃO QUISER... TENHA UMA PÉSSIMA NOITE COM SEU TRAVESSEIRO.
- ESTÁ BEM, ESTÁ BEM! EU VOU!
- ENTÃO, NOS ENCONTRAMOS ÁS DOZE?
- SIM... ÁS DOZE!
FOI MARCADA, ENTÃO, A FESTA. O RELÓGIO DE PAREDE NA CASA DE ROSE, SOAVA ALARMES DA MADRUGADA, SIM, DOZE E VINTE E DOIS DAQUELA MADRUGADA. ROSE ENFRENTAVA PROBLEMAS PARA SAIR DE CASA, EVIDENTEMENTE, VINTE E DOIS MINUTOS ATRASADA.
- O QUE FAZ ACORDADA, ROSE? - PERGUNTOU A MÃE.
- SABE O QUE É, MÃE? EU PRECISO TERMINAR UM TRABALHO AINDA HOJE... AQUELE TRABALHO DE FÍSICA...
- ENTÃO, O QUE ESTÁ ESPERANDO PARA COMEÇAR A FAZER?
- O PROBLEMA É QUE, A LIS, AQUELA MINHA COLEGA DO COLÉGIO, ESTÁ ME ESPERANDO NA CASA DELA.
- TE ESPERANDO A ESSA HORA DA MADRUGADA?
- NA VERDADE ELA ME CHAMOU PARA... DORMIR EM SUA CASA. VOU APROVEITAR PARA LEMBRÁ-LA DO TRABALHO.
- NÃO SEI NÃO, ROSE... SEU PAI NÃO VAI GOSTAR MUITO DA IDEIA DE VER VOCÊ SAINDO EM TAL HORÁRIO.
- AH, MÃE! O PAPAI NÃO PRECISA FICAR SABENDO! VAI, DEIXA! EU NÃO POSSO DESAPONTAR A LIS.
- ESTÁ BEM, VOU CONFIAR EM VOCÊ! ME DÁ O NÚMERO DO TELEFONE DOS PAIS DELA, PRECISO AVISÁ-LOS.
- MÃE, OS PAIS DA LIS ESTÃO DORMINDO, E ELA COM CERTEZA JÁ FALOU QUE RECEBERIA UMA AMIGA.
- OLHE LÁ ROSE! ASSIM QUE CHEGAR, LIGUE PARA MIM, TUDO BEM?
- TUDO! VOCÊ É A MELHOR MÃE DO MUNDO!
ROSE SAIU DEPRESSA, POIS, ESTAVA SUPER ATRASADA E PROVAVELMENTE SE ATRASARIA AINDA MAIS DEVIDO AO LONGO CAMINHO A PERCORRER ATÉ A CASA DA AMIGA. O CHEIRO DA MADRUGADA E O FRIO QUE ESTA FAZIA NÃO AMEDRONTAVA A MENINA TÃO QUANTO O VELHO QUE A SEGUIA. A CENA DE UMA MENINA SENDO SEGUIDA POR UM HOMEM DE APARÊNCIA VELHA COM UM SOBRE-TUDO E COM UM CHAPÉU MARROM MEIO QUE SUJO, TENDO NOS BOLSOS AS MÃOS, JÁ PODIA SER ASSISTIDA NAQUELA MADRUGADA. E A MENINA DESESPERADA CORREU O MAIS RÁPIDO QUE PÔDE, MAS, AINDA PERCEBIA QUE ERA ALVO DE UMA PERSEGUIÇÃO. ENTÃO, RESOLVEU PARAR DE ANDAR E OBSERVAR O VELHO, PARA VER SE REALMENTE ELE A SEGUIU TODO ESSE TEMPO. O VELHO PASSOU POR ROSE NATURALMENTE, COMO SE ESTIVESSE FAZENDO UM PASSEIO. A MENINA DEU UM SUSPIRO DE ALÍVIO, RELAXOU E PENSOU: "COMO EU SOU MALDOSA EM SUSPEITAR DE UM VELHINHO INOCENTE FAZENDO SEU PASSEIO DA MADRUGADA". DER REPENTE, MÃOS ENRUGADAS TOCANDO NOS SEUS OMBROS E UM SUSURRO NO OUVIDO, DIZENDO:
- NÃO DEVERIA ANDAR SOZINHA A ESSA HORA DA MADRUGADA... ONDE SEUS PAIS ESTÃO QUE NÃO VÊEM ISSO?
ASSUSTADA, A MENINA NÃO PENSA DUAS VEZES E SAI CORRENDO, SEM DIREÇÃO. E O VELHO PARECE NÃO SE IMPORTAR, POIS, JÁ HAVIA ARRANCADO AS CABEÇAS DAS MENINAS DA FESTA DO PIJAMA E SÓ FALTAVA UMA, ENTÃO... ELE PODERIA VOLTAR OUTRA MADRUGADA PARA PEGAR A QUE FALTAVA. What a Face affraid
E ASSIM, O VELHO DA MADRUGADA FAZ O SEU PASSEIO EM BUSCA DE CABEÇAS DE CRIANÇAS QUE PERMANECEM ACORDADAS ATÉ TARDE DA NOITE... ROSE ESCAPOU POR POUCO, MAS, MUITAS OUTRAS MADRUGADAS ESTÃO POR VIR!

Gabriel de Alcântara
Nivel 1

Mensagens: 3
Pontos de reputação: 1
Data de inscrição: 24/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por Ftcv em Sex Ago 26, 2011 5:05 pm

ADOREI O CONTO DO VELHO DA MADRUGADA! SHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHASUAHS
VOU CONTAR ESSA PROS MEUS FILHOS SHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHA
VOCÊ QUE INVENTOU? CURTI!

_________________
Quem quer ser uma pia?

Ftcv
Nivel 26

Mensagens: 2052
Pontos de reputação: 55
Data de inscrição: 17/05/2010
Idade: 23
Localização: Salvador Bahia

Ver perfil do usuário http://forumilha.forumj.biz

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por Gabriel de Alcântara em Qui Set 01, 2011 4:57 pm

FOI, FUI EU QUE INVENTEI... NADA FAZENDO EM CASA E RESOLVI ESCREVER E DEU NO QUE DEU!RSRSRS

Gabriel de Alcântara
Nivel 1

Mensagens: 3
Pontos de reputação: 1
Data de inscrição: 24/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por Ftcv em Qui Set 01, 2011 5:16 pm

Muito bom cara! Sério!
Vc criou uma lenda pra mim, a partir de hj eu irei propagar a lenda do velho da madrugada q pega as crianças q ficam até tarde fora de casa!
Velho do saco é pra fracos! HSUAHSAUSHAUSHAUSHUSH

Sério! Curti muito!

_________________
Quem quer ser uma pia?

Ftcv
Nivel 26

Mensagens: 2052
Pontos de reputação: 55
Data de inscrição: 17/05/2010
Idade: 23
Localização: Salvador Bahia

Ver perfil do usuário http://forumilha.forumj.biz

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos de Terror!

Mensagem por Gabriel de Alcântara em Sex Set 02, 2011 5:04 pm

OBRIGADO MESMO! E OLHE QUE EU SÓ TENHO CATORZE ANOS... QUE BOM QUE GOSTOU!

Gabriel de Alcântara
Nivel 1

Mensagens: 3
Pontos de reputação: 1
Data de inscrição: 24/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

CONTOS Q ESCUTO POR Ai

Mensagem por xmarley em Qui Set 15, 2011 8:21 pm

uns dias desses minha familia estava comentando sobre coisas q eram assustudores e que presenciaram e ta,em um destes contos minha mãe disse o seguinte:quando eu era pequena minha irmã saia com as amigas e não me levava junto,um dia decidi segui_lase no meio do caminho que que não sei para onde era que elas iam,elas perceberam que eu estava seguindo as.então elas começaram a tentar me despistar ,até que conseguiram(pois correram)esse local era uma avenida,mas estava vazia porq era muito tarde e era em uma cidade pequena de alagoas.então eu fui emprovisando o caminho até chegar a uma pracinha pequena onde as arvores eram cercadas por um circulo de cimento,tipo um banquinho de pedra ,em um desses circulos havia um bem distante ,nesse havia um menino aparentemente de 8 anos olhando para baixo e sorrindo exatamente nesta hora lembrei do que minha mãe disse(no caso minha avó)que as pessoas do local falavam para nâo andar na praça pois havia o diabo em forma de menino que quando vc se aproximava ele olhava para vc sorrindo com olhos de cor de sangue até que sem parar de fixar os olhos em vc as pernas dele começavam a cair,depois o braços,depois a cabeça e o torax,mesmo caido ele ainda olhava para vc até vc desmaiar e então ninguem via mais a pessoa ,minha mãe gelou literalmente o menino começou a olhar para ela e então as pernas começaram a responder ai ela correu como se o mundo tivesse acabando,cada passo que ela dava podia sentir a figura seguindo a cada esquina que ela virava morria de medo de ver o menino atras dela então ela chegou em casa e ja foi direto para sua mãe,depois sua irmã (minha tia,no caso da minha mãe mais velha)chegou com as amigas e disse que tinha ido na direção oposta da avenida,depois disso minha mãe nunca mais passou na praça nem de noite,nem de dia

detalhe isso foi real,em mata grande AL
outro detalhe a praça era toda branca .menos as arvores


e espero que tenham gostado Twisted Evil Twisted Evil Twisted Evil Twisted Evil Twisted Evil

xmarley
Nivel 1

Mensagens: 1
Pontos de reputação: 0
Data de inscrição: 16/09/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum